Disfunção Erétil

 

A disfunção erétil talvez seja um dos maiores medos que assolam o imaginário masculino.

Essa condição é caracterizada pela falta de capacidade de alcançar ou sustentar uma ereção satisfatória do membro sexual masculino. Isso é fundamental para que exista uma atividade sexual adequada.

Existem pesquisas científicas que indicam que a disfunção erétil atinge, independente da faixa etária, em torno de 1/5 dos homens. Quando analisamos os dados da população masculina com idade acima dos 50 anos, essa proporção chega a 50% do público pesquisado.

A disfunção erétil causa um efeito negativo gigantesco no nível de percepção da qualidade de vida e na satisfação sexual dos homens. Isso traz consequências diretas nas relações dos casais.

 

Procurar ajuda ainda é um tabu

Apesar do problema estar ligado à saúde, a relação de uma parcela dos homens com sua sexualidade ainda é muito complexa. Grande parte da população masculina não aceita expor que sofre com essa condição e se recusam a buscar orientação médica. Os motivos variam de pura falta de informação sobre o tema, preconceito ou simplesmente vergonha.

Os dados mostram que, infelizmente, somente 15 a 30% dos homens que sofrem com a disfunção erétil buscam fazer algum tratamento médico.

 

O que deve ser feito para enfrentar o problema?

A primeira coisa que a pessoa deve fazer é buscar acompanhamento médico especializado. O profissional analisa todos os fatores relacionados à condição do paciente e escolhe o melhor tratamento para cada caso. Isso faz toda diferença para o sucesso no enfrentamento do problema.

Além das questões físicas, é importante compreender se não existem outras situações que possam gerar a disfunção erétil no paciente. Eventos de caráter pessoal podem gerar problemas psicológicos que pioram muito a condição.

 

Como é feito o tratamento?

Em geral, o mais comum é fazer uso de medicações orais. Para casos mais graves, existem recursos como aplicação de injeções no pênis e também implante de próteses.

Quando o médico identifica que existe algum problema psicológico ele faz a indicação para que haja acompanhamento de um profissional da área, pois isso é importante para dar o suporte adequado ao caso.